segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Eco

"Já dizia o velho sábio. O que seria do poeta se a tristeza não o visitasse."

Estive pensando nisso e chegue a conclusão de que "o que seria de mim se o exagero não me acompanhasse?"

Se estou triste, tudo é tristeza. Se estou feliz, a felicidade exala em tudo. Não existe meio termo pra mim. Ou é 8, ou 80. Não tem essa de 8,5 ou 79,8. Se eu quero, eu quero. Se não quero, não quero. Se não tenho, luto pra ter e se tenho cuido e defendo para nunca perder.

Uma das coisas que mais me entristece é quando as coisas são feitas de má vontade. Se não quer fazer, não faça. Caso contrário nunca sairá tão bom quanto o desejado.
As pessoas têm mania de ver obrigação em tudo, mas as coisas não são bem assim. Se tu gosta do que faz, jamais será uma obrigação e sim um prazer.

Eu sei, tem horas na vida em que realmente é preciso fazer coisas que não gostaríamos de fazer, mas custa fazer isso com vontade, poxa, não vai durar a vida toda. Uma hora melhora, ou piora, depende de como você quer resolver as coisas.
Sorria para a vida e ela te sorrirá de volta. Faça coisas boas e elas voltarão para você.

Mas uma coisa eu te digo, não faça nada para alguém esperando o mesmo retorno. 

Feliz é aquele que faz o bem sem esperar a recompensa.